top of page
25 DE AGOSTO - DIA DO MINI-HANDEBOL

Talita Mascarenhas - Da Redação - 10/06/2023

A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) instituiu oficialmente o Dia do Mini-Handebol, comemorado todo dia 25 do mês de agosto.

A data foi escolhida por alguns motivos históricos:

- 25 de agosto foi a data de fundação da primeira diretoria de mini-handebol do Brasil, iniciativa da Federação Paulista de Handebol em 25 de agosto de 2014.

- 25 de agosto foi instituído pela Federação Paulista de Handebol como Dia do mini-Handebol no Estado de São Paulo a partir de 2020.

- 25 de agosto foi o dia de criação do Balón, esporte criado no Uruguai por Antonio Valeta e que é considerado pela International Handball Federation - IHF como precursor do handebol moderno.

- 25 de agosto é considerado pela Confederação Sul e Centro Americana - Coscabal, como o Dia do Handebol no continente Americano.

- 25 de agosto, portanto, tem como objetivo unificar datas historicamente estabelecidas, ressaltar questões históricas importantes e criar uma data de visibilidade e divulgação do mini-handebol em todo Brasil.

25 de agosto é oficialmente o Dia do Mini-Handebol!

#minihandebol #mini-handebol #minihand #diadominihandebol #handebol
#diadomini-handebol

CBHb Resolução 003 DIA DO MINI HANDEBOL_page-0001.jpg
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL COMEMORA 500 POLOS DO  "MINI-HANDEBOL BRASIL"
Logo CBHb fundo cinza site.png

Talita Mascarenhas - Da Redação - 14/01/2023

A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) anunciou recentemente a conquista de 500 polos de mini-handebol em todo o Brasil. Um dos objetivos é aumentar a base de pratiantes no país e desenvolver a modalidade de forma mais abrangente, além de difundir e democratizar a prática do handebol nas escolas e comunidades.

Os polos funcionam por meio da parceria entre estados, municípios e escolas, que são reconhecidos por meio da chancela oficial e futura, que visa estruturar novos polos e dar oportunidade para cada dia mais crianças. 

 

Além disso, serão realizados eventos e festivais regionais para identificar novos praticantes e fomentar a modalidade em todo país.

A CBHb acredita que essa iniciativa trará benefícios tanto para o desenvolvimento do handebol no país quanto para as crianças, que terão a oportunidade de praticar uma modalidade esportiva de forma acessível, democrática e inclusiva.

A CBHb está de parabéns por essa iniciativa e espera-se que ela traga resultados positivos para o handebol brasileiro.

Saiba tudo sobre o programda de mini-handebol da CBHb acessando o site: https://cbhb.org.br/governanca/10/minihand

Logo CBHb fundo cinza site.png
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL LANÇA O LIVRO "MINI-HANDEBOL BRASIL"

André Albuquerque - CBHb- 30/09/2021

A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) lança, nesta quinta-feira, às 20h, o livro Mini-Handebol Brasil.

 

A obra escrita pelo professor Diego Melo de Abreu contém os principais conceitos, filosofias, adaptações, princípios, métodos e todas as informações necessárias para que o professor possa iniciar ou potencializar o trabalho com crianças na própria escola, no clube ou até mesmo em espaços públicos.

 

A live foi transmitida ao vivo na página da CBHb no Facebook (/CBHbOficial).

 

O lançamento do livro do Mini-Handebol Brasil chega em um momento em que a categoria só cresce em todo o País.

 

Atualmente existem 129 polos oficiais chancelados em funcionamento e outras 127 já com a pré-chancela para começar em breve.

“Acredito que o mini-handebol é um dos nossos principais projetos. Ali nós estamos trabalhando futuros jogadores dos grandes clubes brasileiros e da própria Seleção Brasileira. Não tenho dúvida que daqui a alguns anos teremos o depoimento de algum atleta convocado para a Seleção que começou no Mini-Handebol Brasil. Além disso, o projeto não é feito apenas para formar grandes campeões, é feito também com a finalidade de difundir a modalidade e formar cidadãos”, afirmou o presidente da CBHb, Felipe Rêgo Barros.

O autor do livro do Mini-Handebol Brasil, Professor Diego Melo de Abreu, é o principal autor sobre o tema no País. Em seu currículo Professor Diego já tem 2 livros de mini-handebol, centenas de cursos ministrados no Brasil e no mundo (Europa e África) e experiência prática com aulas e projetos em escolas, clubes e federações.

Atuando com mini-handebol há cerca de 17 anos, em São Paulo, ele tem conseguido movimentar polos e projetos em todos os estados brasileiros.

 

“Desde o lançamento do mini, em 02 de junho deste ano, já avançamos bastante. Lançamos o mini de areia, tivemos 129 projetos de quadra chancelados pela Confederação, escolhemos o mascote após a participação de 105 pessoas no concurso que teve mais de 50 mil votos nas nossas redes sociais, realizamos o curso de Mini-Handebol com 6098 inscritos e agora o livro. Acredito que a obra será uma espécie de direcionamento para profissionais que desejem iniciar ou potencializar seus respectivos projetos”, afirmou.

E as novidades do Mini-Handebol Brasil não param por aí. Durante a live, o professor Diego e convidados, entre eles o Dr. Rudney Uezu, Telma Assis Lemos, Thamiris Madeira Duarte e Daniela Cardoso Nicoli, todos da atual diretoria do mini na CBHb, vão anuncar mais uma surpresa.

 

Desta vez, para o handebol de areia! Fiquem ligados!

Logo CBHb fundo cinza site.png
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL LANÇA O PROGRAMA "MINI-HANDEBOL BRASIL"

Talita Mascarenhas - Da Redação - 03/06/2021

A CBHb - Confederação Brasileira de Handebol lançou ontem, 02 de junho de 2021, o programa de desenvolvimento nacional do mini-handebol chamado de Mini-Handebol Brasil.

As informações que constam no site da CBHb explicam de maneira completa todos objetivos, metas e até mesmo uma live especial foi realizada para o lançamento.

 

Clique no link abaixo para acessar a página oficial do mini-handebol da CBHb:

 CBHb | Mini-Handebol Brasil

KEMPA É O NOVO PATROCINADOR
DA MINIHANDBALL SCHOOL
Kempa-Logo3.jpg

Talita Mascarenhas - Da Redação - 27/04/2021

A Minihandball School agora tem um novo patrocinador de material esportivo a conceituada marca alemã Kempa.

Após alguns anos de contrato com a Atorka, marca de handebol da empresa francesa Decathlon, a Minihandball School terá em suas aulas, cursos, workshops, eventos e festivais todo suporte de bolas, vestuário e calçados da Kempa, com a qualidade que todos no meio do handebol já conhecem da marca.

E breve em nosso site haverá canal de vendas para materiais Kempa, com descontos e parcerias exclusivas para nossos seguidores.

WhatsApp Image 2021-02-19 at 19.32.46.jp
LIGA BRASIL DE HANDEBOL PROMOVE CURSO DE MINI-HANDEBOL

Talita Mascarenhas - Da Redação - 10/03/2021

A Liga Brasil de Handebol, por meio de seu Presidente Fabio Giba, promoveu neste último sábado (06/03/2021) um curso online gratuito e com certificação de Mini-Handebol com o Prof. Me. Diego Melo de Abreu.

A ação teve como objetivo primeiramente incentivar professoras e professores da região a descobrir e trabalhar o mini-handebol, porém com o sucesso da divulgação o encontro contou com mais de 400 inscritos de todo Brasil.

O curso durou pouco mais de 2 horas e teve como base as teorias e práticas da Minihandball School e também os estudos de caso e experiências com a parceria com a Federação Paulista de Handebol.

Os certificados do curso estão disponíveis no Google Drive, basta acessar o link, procurar seu certificado pelo nome e fazer o download.

Qualquer problema ou dúvida contém com nosso suporte nos grupos do whatsapp do próprio curso.

MINI-HANDEBOL.COM ENTREVISTA RAIANE ALMEIDA 
Raiane.png

Talita Mascarenhas - Da Redação -08/12/2020

De um curso de mini-handebol surgiu o tema para o Trabalho de Conclusão de Curso de Raiane Almeida de Oliveira.
Nos dias 7 e 8 de dezembro de 2019 o Prof. Me. Diego Melo de Abreu foi até a cidade de Sorriso para ministrar um curso a convite da Federação de Handebol do Mato Grosso e seu presidente Dr. Thiago Richoppo.
Uma das participantes do curso era Raiane, até então estudante de Educação Física. O curso foi um sucesso e Raiane escolheu o Mini-Handebol para ser o tema de pesquisa e estudo.
No dia 07/12/2020, exatamente um ano depois do curso, Raiane apresentou seu trabalho e foi aprovada! Na grande plateia virtual via Microsoft Teams estavam o Prof. Diego Melo de Abreu e Prof. Matheus Candido Betoni da Federação Paulista de Handebol.
"Quando a Raiane disse que faria o TCC com o tema de mini-handebol prontamente nos colocamos à disposição para ajudar e mandar informações, pois quando estava começando e mesmo quando estava escrevendo meu livro sei o quanto foi importante obtermos conhecimento de quem tinha mais experiência" disse professor Diego.
Após a apresentação Raiane foi convidada pela nossa equipe a ceder uma entrevista contanto um pouquinho de seu amor pela modalidade e suas motivações dentro do esporte, confira!

1.    Como conheceu o handebol?
R: Na escola, já tarde com 15 anos de idade e uma amiga me apresentou, a realidade do handebol na minha cidade era pior do que nas demais.

2.    Como conheceu o mini-handebol?
R: Quando saiu o curso aqui no Estado do Mato Grosso e me indicaram para fazer.

3.    Qual foi sua motivação para escolher o mini-handebol como tema do seu TCC?
R: Sempre tive o sonho de ser atleta de Handebol Profissional, porém por não ter conhecido cedo e nem ter aulas adequadas para o aprendizado. Depois do curso no qual eu participei de Mini-handebol eu me apaixonei porque era tudo que eu precisava quando eu era uma criança para ter chegado ao meu sonho. Então foi ali que eu vi o quanto o Mini-handebol poderia mudar a história dessa modalidade que amamos tanto mas não é bem trabalhada.

4.    O que aprendeu em suas pesquisas?
R: Se você não tiver amor pelo que se faz, você pode até dar aulas e ter algum resultado, mas nunca vai conseguir dar seu melhor. Além de que o mini-handebol, é extremamente importante para o desenvolvimento motor da criança, e para que as crianças não cheguem no Handebol sem saber ao menos o que está jogando.

5.    Deixe um recado para nossos seguidores:
R: O Mini-handebol trouxe para mim a esperança de tornar o sonho de outras pessoas realidade, porque o meu não se realizou e acabou me trazendo frustração mas, com esse projeto de iniciação ao Handebol podemos ter esperanças para o crescimento deste esporte e de outras pessoas".

Nós da Mini-handebol.com e da Minihandball School desejamos todo sucesso do mundo para a querida Raiane. Parabéns professora!

Angola.png
MINIHANDBALL SCHOOL
MINISTRA CURSOS EM ANGOLA

Talita Mascarenhas - Da Redação -17/10/2020

O mini-handebol brasileiro continua a marcar presença no mundo com suas publicações e ações. Desta vez o intercâmbio foi com os irmãos de Angola, no continente Africano, em duas oportunidades: 29/4 no Encontro de Treinadores de Andebol Angolano e 03/09 no Curso de Andebol do Clube 1° de Agosto, campeões mundiais femininos de clube.

Os encontros marcaram a troca de experiências, filosofias e métodos utilizados pelos brasileiros, especialmente no estado de São Paulo.

O palestrante nas duas oportunidades foi o Prof. Me. Diego Melo de Abreu que presenteou com o livro da Federação Paulista de Handebol "Vamos Conhecer o Mini-Handebol" os professores e professoras ao final das apresentações.

"É muito gratificante contar aos irmão e irmãs de Angola como tiramos nosso sonho do papel e colocamos ele em quadra. O processo de idealização, planejamento e execução tem resultados de sucesso aqui no Brasil e fico feliz em compartilhar todas estas experiências" disse o professor Diego.

Liga nacional.jpg
MINI-HANDEBOL: 
A BASE DA BASE

Por Patricia Lima - Assessoria de Comunicação CBHb Publicado em: 14/04/2020 23:40

[Da Redação] Criado no final da década de 1970 na Dinamarca, o Mini-Hand passou a integrar a Confederação Brasileira de Handebol no ano 2000 o qual durante muito tempo, foi um dos maiores projetos de Mini do mundo. Com respaldo das Federações Internacional e Europeia de Handebol desde 1994, o projeto foi reestruturado no Brasil em 2019, tendo à frente o Prof. Ms. Diego Melo de Abreu.

Em 2018, foram escolhidas as mascotes do projeto, sendo três: Hippo, o Hipopótamo; Teté, o Ursinho e Duda, a Girafinha, em homenagem à atleta campeã mundial da Seleção Brasileira, Eduarda Amorim, a Duda.

 

“Eu fiquei muito feliz quando o projeto pediu pra usar a girafinha em minha homenagem. É uma honra ser reconhecida, ser homenageada. Espero que esse projeto tenha muito sucesso e que a girafinha traga muita sorte pra eles”, comentou Eduarda.

 

O Mini-Handebol é uma adaptação do handebol de quadra para crianças entre 05 e 10 anos de idade. Segundo o professor, tudo é pensado, planejado e executado visando ao desenvolvimento global da criança: físico, motor, cognitivo, afetivo, social, educacional e esportivo. A ideia surgiu de uma experiência pessoal.

 

“A necessidade maior foi bem parecida com o motivo da criação do próprio mini-handebol: a falta de interesse das crianças no handebol. [...] Eu era professor de Educação Física em uma escola da rede particular em São Bernardo do Campo e alguns alunos que queriam jogar handebol, me pediam para deixar treinar, mas eles eram crianças de 6, 7 anos de idade… Isso era 2002. A verdade é que eu não fazia ideia de como atender com propriedade e embasamento estas crianças”, conta Diego Melo.

 

O professor explica que o Mini-Handebol é a primeira categoria da modalidade. Porém, para melhor desenvolvimento do trabalho no mini, considerando a realidade brasileira, foram estabelecidas 3 subcategorias baseadas em experiências práticas e pesquisas acadêmicas, que vem apresentando feedback positivo. O público do Mini-A, são crianças de 05 e 06 anos, do Mini-B, crianças de 07 e 08 anos e, do Mini-C, crianças de 09 e 10 anos de idade. Segundo ele, ao antecipar a iniciação dos 11, 12 anos para os 5, 6 anos, o Mini-Hand tornou-se mais uma possibilidade de esporte divertido e dinâmico para as crianças, além de auxiliar na formação de equipes mirins e infantis.

 

Diego destaca alguns países de referência, como Portugal, França, Polônia e Dinamarca que realizam trabalhos diversificados inspirando mais professores no mundo a fazerem o melhor. Melo, atribui o êxito do Mini-Handebol a inúmeros projetos colocados em prática, tendo tido até apresentação televisionada na final da Liga Nacional Masculina em 2019. Atualmente, apenas a Federação Paulista de Handebol possui um Departamento de Mini-Handebol desde 2014, o qual já realizou 6 cursos de formação de professores e 6 grandes festivais gratuitos.

 

“Os Festivais de Mini-Handebol são eventos realizados para divulgar, fomentar e fortalecer o mini-handebol/handebol. Além dos jogos de mini-handebol, sempre proporcionamos oficinas de desenho e pintura, resgate de brincadeiras antigas, circuitos motores, brincadeiras diversas, música, etc. O festival é realmente uma celebração ao esporte, ao handebol e principalmente às crianças e famílias. Incentivam a prática do mini-handebol de forma divertida, formativa e contam sempre com a participação dos familiares, professores, estudantes e atletas nas atividades, na organização e realização”, conclui Diego Melo.

MINIHANDBALL SCHOOL REALIZA AÇÃO COM O SESC NO VERÃO 2020

Redação - 05 de fevereiro de 2020

Em janeiro de 2020 realizamos juntos com o SESC Ipiranga na cidade de São Paulo/SP o Recreio Verão que além das vivências com o Mini-Handebol também proporcionou oficinas de Hip-Hop, Basquetebol e Voleibol.

Nossa equipe realizou atividades durante 2 semanas na unidade atendendo mais de mil crianças! Os professsores Allan Vitorino, Matheus Betoni e Renato Guimarães foram os representante da escola na ação e conduziram brilhantemente todas atividades e dinâmicas com a garotada.

O espaço reservado para o Mini-Handebol foi espetacular, decorado com luzes coloridas, frases motivadoras e quadra emborrachada nas medidas e condições perfeitas para o nosso esporte.

Agradecemos o SESC Ipiranga pela parceria, profissionalismo e carinho com nossa equipe e com o Mini-Handebol.

Confiram abaixo algumas fotos destas 2 semanas incríveis no SESC Ipiranga!